1- Crédito viabiliza oportunidades, não as cria.

2- Um empréstimo precisa ser pago, caso contrário a dívida aumenta e transforma-se em um grave problema.

3- Planejar a abertura e a expansão do negócio contribui para identificar e administrar os riscos e a capacidade de pagamento do empréstimo.

4- Na abertura de um negócio, deve ser sempre aplicada uma boa parcela de recursos próprios.

5- Em muitos casos, a necessidade de capital de giro tem origem na má gestão e no descasamento entre contas a pagar e a recebe.

6- Um empréstimo deve ser sempre aplicado na finalidade para a qual foi obtido: capital de giro, investimento ou misto (giro associado a investimento).

7- Nunca pegue empréstimo com taxa de juros maior que a rentabilidade do negócio. Essa é uma boa maneira de identificar se os juros praticados são altos para o empreendimento ou não.

8- Os bancos oferecem um pacote de produtos que complementam o relacionamento bancário com o cliente – compra de seguros e outros serviços financeiros. Não permita que esses “pacotes” condicionem a concessão do empréstimo.

9- Não deixe de calcular os custos do empréstimo, as tarifas e os tributos que incidem direta ou indiretamente sobre o crédito: imposto sobre operações de crédito e câmbio e seguros (IOF).

Lembre-se: conhecer as diversas opções e condições de linhas e serviços financeiros reduz as dificuldades na negociação do empréstimo e permite a comparação entre as alternativas disponíveis.

Que tal continuar explorando?